quarta-feira, 26 de junho de 2013

Qual barra vocês preferem ?
No nosso ateliê executamos diversos tipos de barra, então se precisar é só nos fazer uma visita (inclusive temos a tabela de preços em outro post), encontramos uma site onde você pode conhecer os principais tipos de barras, segue o link também http://todasuaroupa.com/2011/03/17/conheca-os-tipos-de-barra/#comment-730

Conheça os tipos de Barra
Entenda um pouco mais sobre os tipos de barras e suas variadas características e indicações.
Barra Galoneira: Específica para tecidos em malha como camisetas, lycra, suplex e similares. A máquina para fazer esse tipo de barra  deve ser a Galoneira, daí o nome. O ponto dela deixa o tecido livre para esticar normalmente. Assim, sem correr o risco de arrebentar a linha ou desfazer a barra, coisa que acontece quando é usado outro tipo de máquina.
Barra de Lenço: É a mesma usada em vestidos de festa. É bem fina, estreita e exige um cuidado especial na hora de fazer, pois deve ficar exatamente na mesma largura ao longo de toda a sua extensão. Para fazer essa barra usa-se a máquina Reta. Nela é acoplado um aparelho de barra, responsável por determinar a largura da barra que se deseja.
Barra à mão: A barra à mão ou invisível, como também é chamada, normalmente é usada em calças sociais. Ela é toda feita à mão, com pontos delicados.  Somente por dentro da peça é que aparecem os pontos da costura. A medida certa para se fazer uma barra social mais ‘chique’ é fazer uma virada na barra de 5 cm.



Barra Italiana ou virada para fora: Antes de se popularizar, a Barra Italiana ficava reservada para calças sociais de tecidos como linho e oxford, em geral peças mais clássicas. Com o passar dos anos, além de usá-la em calças, também se transferiu para shorts de vários tipos de tamanhos e tecidos, inclusive o jeans.
Esta barra exige destreza. Para sair perfeita, o profissional precisa de técnica e habilidade para tirar a medida certa e não encurtar  demais a peça. As máquinas usadas são a Reta e a Overlock para fazer os acabamentos.
Barra com Viés: Normalmente usada para conseguir aumentar o comprimento da peça, o viés é aplicado por dentro e não aparece. A exceção fica somente quando a peça é usada com a barra dobrada para fora. A máquina utilizada é a Reta.
Barra Simples: A barra simples, como o nome já diz,  apenas leva a virada  do tecido na largura desejada. Após faz-se uma costura simples, normalmente usada em calças de sarja, mangas de casaco e outros. A máquina usada é a Reta.
Barra Original: A barra original é a barra onde conservamos todas as características originais da peça, como o efeito de lavagem. A peça é cortada no tamanho certo e depois é aplicada a mesma barra, sem deixar nenhuma sobra por dentro. Utiliza-se a máquina Reta.
Beijos e abraços
Driely e Rogéria

 

quarta-feira, 19 de junho de 2013

Título da postagem

  O HIT DO MOMENTO: AS CAMISAS

Pois é, mesmo quem não gosta muito usar tem que admitir que elas estão estão em alta, algumas pessoas ainda acham que ela funciona melhor no ambiente de trabalho, mas é fácil percebe-las em quase todas as situações e maioria das pessoas tem pelo menos uma no guarda roupa! Inclusive a procura no ateliê tem aumentado bastante, e quem tem interesse pode entrar em contato. Por isso hoje vamos contar a vocês uma pouco da história da marca mais importante nesse segmento a Dudalina.


-A história
A tudo começou no dia 3 de março de 1957, na cidade de Luís Alves, município próximo a Blumenau em Santa Catarina, com o casal Rodolfo (conhecido pelo apelido de Duda) e Adelina Hess de Souza. A história empreendedora começou a partir de um lote de tecidos de seda, que estava encalhado no estoque do pequeno armazém de secos e molhados do casal, e que Adelina resolveu transformar em camisas para vender aos seus clientes. Como a mercadoria foi bem aceita, a venda de secos e molhados, que dava o sustento à numerosa família, foi deixada de lado, e o casal iniciou uma pequena confecção depois de contratar duas costureiras e transformar o quarto da empregada em sala de costura, pelo menos durante o dia, quando as camas eram retiradas para dar lugar à confecção. A pequena confecção crescia e o quartinho da casa da família já não era suficiente para suportar a demanda. Para ter mais espaço, o casal alugou uma casa em frente ao sobrado onde moravam.
-
-Em 1962, a empresa ganhou um novo nome: Indústria e Comércio Dudalina S.A. A marca, criada a partir dos apelidos de seus fundadores (Duda e Lina), foi sugerida pelo sobrinho Frederico de Souza, que sempre ajudou os tios na confecção. O espaço da fábrica em Luís Alves não demorou muito para ficar pequeno, e a família se mudou para Blumenau em 1969. As exportações de suas camisas começaram na década de 70. Em 1984 com a inauguração da sede da empresa, os 16 filhos do casal começaram a administrar os negócios da família. Nos anos seguintes, além da marca principal que levava o nome da empresa, a DUDALINA criou, em 1988, a Individual, com camisas mais casuais para consumidor um pouco mais novo; e, em 1994, a BASE, mais esportiva e direcionada para os jovens.
-
-
Desde que assumiu o comando da empresa, em 2003, a empresária Sônia Hess, uma das filhas da fundadora, começou a moldar uma nova face para a DUDALINA. Primeiro Modernizou as fábricas após ouvir reclamações de que o ambiente de trabalho era apertado; depois ampliou as unidades, o que proporcionou maior conforto aos operários; e quando descobriu que muitos de seus funcionários iam trabalhar de bicicleta, a empresária comprou modelos novos para os empregados. Mas sua principal ousadia foi inovar no mix de produtos com a produção de calças, malhas e peças em tricô. A partir deste momento a DUDALINA deixava de ser apenas uma fábrica de camisas.
-
-
-
-Em 2010, a DUDALINA estreou no segmento de vestuário feminino, com o lançamento de camisas voltadas para executivas. Além disso, devido ao enorme sucesso e boa aceitação das lojas conceitos, a maior fabricante de camisas masculinas do Brasil, decidiu ingressar para valer no mercado de franquias. A decisão veio após a boa receptividade dos consumidores às seis lojas abertas pela empresa. A expectativa é chegar ao final de 2010 com 12 unidades. Outro destaque da empresa é a inovação e investimentos no marketing. Entre as ações para o grande público está a parceria com a Rede Globo no fornecimento de roupas que vestem, muitas vezes, um mesmo personagem durante toda a novela.
-
-
As marcasDUDALINA
É o real sinônimo de camisa perfeita. Todas as peças resultam de uma seleção exclusiva de matérias-primas diferenciadas, que garantem o conforto e a sofisticação notória. O design é de origem italiana, conquistando uma elegância clássica e quase aristocrata, que reflete o desejo e o prestígio dos homens que vestem a marca.
-
-
INDIVIDUALVeste o homem contemporâneo e único. É uma marca que traduz modernidade com elegância. O homem que veste Individual possui identificação total com a marca, pois sabe muito bem o quer e precisa. Ele está sempre pronto para ser notado tanto nos negócios quanto na vida pessoal.-
-
BASE
É uma marca destinada aos momentos de lazer, trazendo em sua essência a qualidade de suas coleções. Através tecidos desenvolvidos com as mais modernas novidades tecnológicas que as tecelagens podem oferecer, as peças traduzem um universo totalmente orientado pelo design, representando um verdadeiro elo entre o conforto, a informação e a originalidade.-
-Dados corporativos
● Origem: Brasil● Fundação: 3 de março de 1957
● Fundador:
Adelina e Rodolfo Hess● Sede mundial: Blumenau, Santa Catarina, Brasil
● Proprietário da marca:
Dudalina S.A.● Capital aberto: Não● Presidente: Sônia Hess● Diretor de exportação: Rui Leopoldo Hess
● Faturamento: R$ 170 milhões (estimado)
● Lucro: Não divulgado
● Fábricas: 4
● Lojas: 6
● Presença global: 55 países
● Presença no Brasil: Sim
● Funcionários: 1.300
● Segmento: Vestuário
● Principais produtos:
Camisas, calças e malhas● Marcas: Dudalina, Base e Individual● Slogan: Amor à camisas e às pessoas.● Website: www.dudalina.com.br
-
A marca no mundo
Hoje em dia a empresa, uma das principais exportadoras de camisas masculinas de tecido da América Latina, produz mais de 2.6 milhões de peças de roupas por ano e está presente em 1.800 pontos-de-venda do Brasil com suas três marcas (Dudalina, Base e Individual). Hoje, 65% da produção da DUDALINA não é camisaria: fabrica também calça, malha, tricô e outros produtos. Seus produtos chegam 55 países, especialmente Paraguai, Venezuela e Argentina, fazendo da DUDALINA a responsável por 70% das exportações de camisas do Brasil. A empresa tem quatro fábricas em Blumenau (matriz), Luiz Alves, Presidente Getúlio e Terra Boa (Paraná) e fatura mais de R$ 170 milhões por ano. A empresa, que também é responsável por parte da produção de grifes como Daslu, Brooksfiled, Via Veneto e Zara, já vendeu mais de 52 milhões de camisas desde sua fundação.
-Você sabia? Dos mais de 1.300 funcionários da empresa, 77% são do sexo feminino.-
-
As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Veja, Exame, Isto é Dinheiro e Época Negócios), sites especializados em Marketing e Branding (Mundo do Marketing), e Wikipedia (informações devidamente checadas).- 
Texto retirado de: http://mundodasmarcas.blogspot.com.br/2010/07/dudalina.html 


 

domingo, 16 de junho de 2013

NOSSO TRABALHO

Hoje vamos conhecer um pouco do trabalho do Ateliê Maria Mineira, as fotos são de alguns trabalhos entregues nos últimos dias, e quero saber a opinião de vocês hein!!!
 Vestidos infantis
 Traja de Festa Junina
 Roupas sob medida
 Camisas femininas
 Camisetes



 Trajes para apresentações (esse é country)


E também para eventos temáticos como esse que era anos 50.
Bem gente por hoje é só, nos próximos dias vamos mostrar algumas curiosidades do mundo da costura e indicar alguns sites legais pra gente se inspirar em criar novos looks!!
Beijos e Abraços
Driely e Rogéria

sábado, 15 de junho de 2013

O COMEÇO DE UMA JORNADA

No dia 17 de abril de 2013 finalmente aconteceu nossa inauguração, estamos localizados na Rua das Tipuanas, 214 no Conjunto Borba Gato em Maringá - Pr, mas antes de começar queremos agradecer muitíssimo a presença de todos os que puderam comparecer, OBRIGADO GENTE!!!
Bem vamos começar explicando o nosso nome, na verdade ele já existia, quem inventou mesmo foi minha irmã Adylla, ela sempre sonhou e ter uma marca de roupas e achava esse nome legal, então sempre comentava com a gente sobre o assunto. Depois de alguns anos quando minha mãe Rogéria começou a pensar seriamente e abrir uma empresa novamente, se lembrou desse nome e me perguntou o que eu achava, nesse momento já tínhamos imaginado vários nomes e nenhum havia agradado a todos (digo todos por que na nossa família todo mundo dá a sua opinião neh). Eu gostei bastante e na hora lembrei que além de ser um nome que combinava bem com a nossa ideia, era também uma forma de homenagear minha avó paterna que se chamava Maria... e nasceu em Minas Gerais, nossa nessa hora todo mundo ficou em silêncio, fazia pouco tempo que ela tinha falecido e durante toda sua vida ela tinha sido uma figura muito importante pra todos, então concordamos que seria maravilhoso manter sua memória viva.
Agora vamos ver como foi nossa inauguração, nesse dia recebemos nossos amigos com bolo de fubá e chá para entrar no clima neh, vamos da uma olhadinha como foi.




















 
A partir de hoje vamos começar a mostrar com é o nosso trabalho durante a semana, e se der tudo certo nosso objetivo é postar pelo menos 2 textos por semana, mas como estamos no final de semana e ficamos muito tempo parados vamos colocar o papo em dia e postar mais algumas coisinhas heheheh.
Beijos e abraços
Driely e Rogéria
AGORA É HORA DE TRABALHAR
Oiee gente e ai como vai ?? agora que já está tudo pronto fomos até a prefeitura com CPF e comprovante de endereço do Ateliê, assim vamos fazer o pedido de alvará de localização e para que ele seja liberado para o nosso tipo de atividade é necessária vistoria de alguns departamentos da prefeitura, então vamos receber o setor de Viabilidade, Corpo de Bombeiros e talvez a Vigilância Sanitária.
Depois dessas vistorias e da liberação de todos os laudos vamos nos dirigir até o SEBRAE e pegar nosso CNPJ, semana que vem vamos trazer mais informações.
Agora vamos conhecer que tipo de serviços o ateliê pode fornecer a você ou a sua empresa.
 
 
Quem precisar de mais informações é só entrar em contato
 
Para atender melhor nossos clientes oferecemos um horário de atendimento diferenciado, mas nos primeiros meses estaremos atendendo apenas com hora marcada depois das 18h. 
 
 
E por último o mais importante rsrsrs, vamos colocar uma tabela de preços com os valores iniciais para os principais serviços prestados pelo Ateliê Maria Mineira.
 


É isso gente, espero que tenham gostado e aguardo os comentários ok!! até o próximo post.
Beijos e abraços
Driely e Rogéria
 

segunda-feira, 22 de abril de 2013


TIVE UMA IDÉIA E AGORA?

Depois de contar a vocês como eu e minha mãe chegamos até aqui, agora é hora organizar as ideias e se preparar para abrir sua própria empresa, nesse processo cada passo exige muito atenção e principalmente paciência. Depois de definir qual o ramo de atuação da empresa, é hora de procurar o SEBRAE (em Maringá - Av. Bento Munhoz da Rocha Netto, 1116,(44) 3220-3400), através de uma palestra essa instituição vai fornecer todas as informações necessárias sobre o que fazer primeiro e também vai tirar todas as dúvidas de como funciona o MEI – micro empreendedor individual. Existe também o site Portal do empreendedor (http://www.portaldoempreendedor.gov.br), que além de várias informações importantes (incluindo perguntas e respostas dos internautas) o site também oferece uma lista com todas as atividades que MEI pode exercer, é muito importante anotar todas as possíveis atividades que sua empresa vai fazer, mesmo que você não tenha condições de fazer isso agora, é bom estar regularizado desde já, e inclusive vai eliminar grande parte da burocracia na área empresarial existente em nosso país.

Abaixo vou listar as principais características e vantagens de ser um MEI

- Microempreendedor Individual (MEI) é a pessoa que trabalha por conta própria e que se legaliza como pequeno empresário.

- Para ser um microempreendedor individual, é necessário faturar no máximo até R$ 60.000,00 por ano e não ter participação em outra empresa como sócio ou titular.

- O MEI também pode ter um empregado contratado que receba o salário mínimo ou o piso da categoria.

- Entre as vantagens oferecidas por essa lei está o registro no Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas (CNPJ), o que facilita a abertura de conta bancária, o pedido de empréstimos e a emissão de notas fiscais.

- Além disso, o MEI será enquadrado Simples Nacional e ficará isento dos tributos federais (Imposto de Renda, PIS, Cofins, IPI e CSLL). Assim, pagará apenas o valor fixo mensal de R$ 34,90 (comércio ou indústria), R$ 38,90 (prestação de serviços) ou R$ 39,90 (comércio e serviços), que será destinado à Previdência Social e ao ICMS ou ao ISS. Essas quantias serão atualizadas anualmente, de acordo com o salário mínimo.

- Com essas contribuições, o Microempreendedor Individual tem acesso a benefícios como auxílio maternidade, auxílio doença, aposentadoria, entre outros.

No nosso caso vamos abrir um ateliê de costura, e no começo vamos trabalhar com prestação de serviços (consertos, ajustes e roupas sob medida) e a venda de algumas peças em tecido (como nécessaires, porta sacos de lixo para carros, capas para lições e bíblias e etc.), mas incluímos várias outras atividades que iremos executar (se Deus quiser) em um futuro próximo. Depois de participar da palestra no SEBRAE, o próximo passo é se dirigir até a prefeitura da cidade onde será pedido o alvará de localização, e essa é a parte mais chata, pois como acontece na maioria das cidades do Brasil temos muitas filas e muita espera até sermos atendidos, para isso precisamos levar os documentos pessoais e se possível o código das atividades que a empresa vai executar.

Outra dica muito importante e valiosa é se qualificar fazendo algum curso na área de empreendedorismo ou administração, em Maringá existem muitos cursos gratuitos como o do Instituto de Educação Estadual de Maringá (R. Martin Afonso, 50, Zona 1, (44) 3226-4346), tem também cursos de capacitação oferecidos pelo estado e pela prefeitura como Bom Negocio Paraná (http://www.seim.pr.gov.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=220).

È minha gente eu disse que dava trabalho lembra, e simultaneamente a essa parte burocrática é hora de escolher o local onde sua empresa vai funcionar, se for em casa mesmo como a maioria, é IMPORTANTÍSSIMO separar bem o espaço da empresa do espaço da família, assim ninguém sofre (isso vale também para o horário de trabalho ok). Se for em uma endereço comercial é preciso tomar mais alguns cuidados, como se existe espaço para estacionamento, se existes concorrentes por perto, se o aluguel cabe no seu orçamento e por ai vai. Nossa empresa esta localizada em um bairro residencial, na rua principal e próxima a outros comércios como mercados, lojas de roupas, farmácias e padarias, dessa forma garantimos um certo movimento e ficamos bem a vista de todos.

No próximo post vamos contar a historia do nome da empresa e mostrar como foi a inauguração que aconteceu dia 16/04/13, obrigado por todos que já passaram pelo blog e prometo me esforçar para manter vocês informados de tudo que acontece no Ateliê Maria Mineira.
Beijos e abraços
Driely e Rogéria



sexta-feira, 19 de abril de 2013


COMO REALIZAR UM SONHO
 
 Olá meu nome é Driely Berman e através desse blog vocês poderão conhecer melhor a minha história e de minha mãe Rogéria Maldonado, na luta para conseguir abrir nossa própria empresa. Hoje vamos contar um pouco de como esse sonho começou, e para saber mais informações acompanhem as próximas postagens, onde vamos detalhar todo o processo de abertura de uma empresa e também dar dicas para que vocês também possam escrever suas próprias histórias de sucesso, quer dizer nós AINDA não somos um sucesso, mas esse é o nosso objetivo né.
 Bem gente, todos temos vários tipos de sonhos e nem sempre é fácil realizá-los, na verdade alguns são bem difíceis e não adianta vir com aquele papo "não desista, nunca deixe de tentar, tudo depende de você e etc.". Na área profissional então, "noooooossssaaaa" (tanto como funcionário ou como empresário) vamos falar a verdade essas coisas demoram, dão o maior trabalho, quase ninguém vai reconhecer o seu esforço, e ganhar dinheiro então é mais difícil ainda (claro que existem as exceções), mas o objetivo desse blog é justamente falar sobre histórias reais para pessoas reais, inclusive se você por acaso não concordar com alguma coisa que dissermos, fazemos questão de saber a sua opinião, pois às vezes todos nós precisamos ouvir umas verdades de vez em quando, parece que assim acordamos pra vida.
E foi dessa maneira que nossa história começou, minha mãe Rogéria filha de costureira quando se casou, não tinha muito o que fazer na cidade de Assis Chateaubriand e então decidiu tentar fazer suas próprias  roupas usando lençóis do seu enxoval e algumas revistas Manequim. 
Minha Vó Zilda a 1° costureira da família e inspiração pra minha mãe
 
 Depois de um tempo quando nos mudamos para São José dos Pinhais minha mãe viu a oportunidade de fabricar peças para vender, começou a comprar retalhos no bairro Boqueirão em Curitiba, criava algumas roupas e vendia. Anos depois em 2004 já na cidade de Maringá - PR, tinha seu próprio ateliê e fazia aquilo que mais gostava: Realizar os sonhos dos clientes através das roupas. E foi assim que eu e minhas irmãs crescemos, em meio a linhas, tecidos, casa sempre cheia de gente e barulho de máquinas mesmo nos fins de semana, e olha nada disso nos incomodava, pois aprendemos muitas coisas através do trabalho de nossa mãe, coisas como atender ao telefone educadamente, anotar recados, receber bem os visitantes, cuidado ao manusear coisas dos outros e por  ai vai.
 
Eu e minhas irmãs usando vestidos feitos pela nossa mãe

  Tivemos bons momentos e outros nem tanto, principalmente pela falta de planejamento e organização, e ai  começamos a ter dificuldades em nos mantermos no mercado. Na verdade minha mãe já estava bem desanimada com o ateliê, e nessa época eu já tinha me formado na faculdade de Turismo e Hotelaria e casado com o Beto, mas ainda trabalhava com ela. E aqui vai uma ótima dica, a primeira coisa ao se abrir um negócio é se preparar psicologicamente para seguir TODAS as formalidades exigidas a uma empresa, seja nos impostos, com os clientes ou na própria administração mesmo, isso por que no nosso caso, todo o lucro do ateliê era usado para manter a casa da minha mãe e para o meu salário, então não havia preocupação em reinvestir o dinheiro ou melhorar a empresa. Resumo da obra eu arrumei um ótimo emprego em outra área e minha mãe também começou a procurar emprego na área administrativa, mas sem muita experiência não conseguiu nada, foi então que ela resolveu aceitar  uma vaga como pilotista (profissional que prepara as primeiras peças antes de serem produzidas em grande escala) em uma indústria de roupas infantis.
 Mesmo trabalhando fora alguns clientes ainda a procuravam, e ela os atendia em casa mesmo pois manteve todas as maquinas guardadas, mas devido a problemas de saúde pediu demissão da empresa. Ela decidiu continuar trabalhar em casa e utilizar os conhecimentos adquiridos na indústria, somados a um planejamento adequado para em breve reabrir o atêlie. Como já tinha feito um curso técnico em administração e vários cursos de empreendedorismo se considerava preparada para iniciar esse novo projeto e me convidou para dividir esse sonho.
 Só que no meu caso a decisão foi um pouco mais difícil de tomar, eu adorava meu trabalho e já estava na mesma empresa a 3 anos, mas infelizmente não havia nenhuma chance de conseguir um cargo melhor, e o salario já não era suficiente para ajudar na construção da minha casa própria. Considerando os prós e contras dessa decisão, percebi que a vida estava me desafiando, minha vida pessoal já estava bem encaminhada, mas profissionalmente eu ainda não tinha feito nada excepcional, todos meus empregos tinham sido medianos, e agora eu tinha a chance de fazer algo novo, algo que realmente podia me fazer crescer financeiramente.
 Aceitei o desafio e agora estamos nós duas aqui, já estamos com o local alugado e providenciando a documentação necessária para a abertura da empresa, sei que nossa história pode não ser exemplo pra ninguém, mas queremos através desse relato pelo menos tocar o coração das pessoas e inspira-las a tentar algo novo, seja uma coisa grande como abrir uma empresa ou algo pequeno como fazer aquilo que sempre teve vontade, mas sempre acha que pode deixar pra depois. Temos que viver o hoje e aproveitar todos os momentos para nos arriscarmos e assim quem sabe obter resultados diferentes em nossa vida. Esse projeto inicialmente será um ateliê de consertos, reformas, roupas sob medida e algumas peças de artesanato em tecido, e num futuro bem próximo vamos realizar o sonho de lançar uma marca própria de roupas femininas.
 
Rogéria Maldonado nossa mãe

 No próximo post vocês poderão ver o passo a passo para abrir sua empresa como um MEI - Micro Empreendedor Individual, assim temos todos os benefícios de uma empresa grande mas com bem menos custo e burocracia. Também vamos contar como foi a feita a escolha do nome, a escolha do local e a organização do espaço, espero que todos tenham gostado do nosso papo (quer dizer na verdade só eu falei até agora), mas ficaríamos muito felizes se vocês deixassem suas opiniões nos comentários, contamos com a ajuda de todos.

Beijos e abraços
Driely e Rogéria