sexta-feira, 19 de abril de 2013


COMO REALIZAR UM SONHO
 
 Olá meu nome é Driely Berman e através desse blog vocês poderão conhecer melhor a minha história e de minha mãe Rogéria Maldonado, na luta para conseguir abrir nossa própria empresa. Hoje vamos contar um pouco de como esse sonho começou, e para saber mais informações acompanhem as próximas postagens, onde vamos detalhar todo o processo de abertura de uma empresa e também dar dicas para que vocês também possam escrever suas próprias histórias de sucesso, quer dizer nós AINDA não somos um sucesso, mas esse é o nosso objetivo né.
 Bem gente, todos temos vários tipos de sonhos e nem sempre é fácil realizá-los, na verdade alguns são bem difíceis e não adianta vir com aquele papo "não desista, nunca deixe de tentar, tudo depende de você e etc.". Na área profissional então, "noooooossssaaaa" (tanto como funcionário ou como empresário) vamos falar a verdade essas coisas demoram, dão o maior trabalho, quase ninguém vai reconhecer o seu esforço, e ganhar dinheiro então é mais difícil ainda (claro que existem as exceções), mas o objetivo desse blog é justamente falar sobre histórias reais para pessoas reais, inclusive se você por acaso não concordar com alguma coisa que dissermos, fazemos questão de saber a sua opinião, pois às vezes todos nós precisamos ouvir umas verdades de vez em quando, parece que assim acordamos pra vida.
E foi dessa maneira que nossa história começou, minha mãe Rogéria filha de costureira quando se casou, não tinha muito o que fazer na cidade de Assis Chateaubriand e então decidiu tentar fazer suas próprias  roupas usando lençóis do seu enxoval e algumas revistas Manequim. 
Minha Vó Zilda a 1° costureira da família e inspiração pra minha mãe
 
 Depois de um tempo quando nos mudamos para São José dos Pinhais minha mãe viu a oportunidade de fabricar peças para vender, começou a comprar retalhos no bairro Boqueirão em Curitiba, criava algumas roupas e vendia. Anos depois em 2004 já na cidade de Maringá - PR, tinha seu próprio ateliê e fazia aquilo que mais gostava: Realizar os sonhos dos clientes através das roupas. E foi assim que eu e minhas irmãs crescemos, em meio a linhas, tecidos, casa sempre cheia de gente e barulho de máquinas mesmo nos fins de semana, e olha nada disso nos incomodava, pois aprendemos muitas coisas através do trabalho de nossa mãe, coisas como atender ao telefone educadamente, anotar recados, receber bem os visitantes, cuidado ao manusear coisas dos outros e por  ai vai.
 
Eu e minhas irmãs usando vestidos feitos pela nossa mãe

  Tivemos bons momentos e outros nem tanto, principalmente pela falta de planejamento e organização, e ai  começamos a ter dificuldades em nos mantermos no mercado. Na verdade minha mãe já estava bem desanimada com o ateliê, e nessa época eu já tinha me formado na faculdade de Turismo e Hotelaria e casado com o Beto, mas ainda trabalhava com ela. E aqui vai uma ótima dica, a primeira coisa ao se abrir um negócio é se preparar psicologicamente para seguir TODAS as formalidades exigidas a uma empresa, seja nos impostos, com os clientes ou na própria administração mesmo, isso por que no nosso caso, todo o lucro do ateliê era usado para manter a casa da minha mãe e para o meu salário, então não havia preocupação em reinvestir o dinheiro ou melhorar a empresa. Resumo da obra eu arrumei um ótimo emprego em outra área e minha mãe também começou a procurar emprego na área administrativa, mas sem muita experiência não conseguiu nada, foi então que ela resolveu aceitar  uma vaga como pilotista (profissional que prepara as primeiras peças antes de serem produzidas em grande escala) em uma indústria de roupas infantis.
 Mesmo trabalhando fora alguns clientes ainda a procuravam, e ela os atendia em casa mesmo pois manteve todas as maquinas guardadas, mas devido a problemas de saúde pediu demissão da empresa. Ela decidiu continuar trabalhar em casa e utilizar os conhecimentos adquiridos na indústria, somados a um planejamento adequado para em breve reabrir o atêlie. Como já tinha feito um curso técnico em administração e vários cursos de empreendedorismo se considerava preparada para iniciar esse novo projeto e me convidou para dividir esse sonho.
 Só que no meu caso a decisão foi um pouco mais difícil de tomar, eu adorava meu trabalho e já estava na mesma empresa a 3 anos, mas infelizmente não havia nenhuma chance de conseguir um cargo melhor, e o salario já não era suficiente para ajudar na construção da minha casa própria. Considerando os prós e contras dessa decisão, percebi que a vida estava me desafiando, minha vida pessoal já estava bem encaminhada, mas profissionalmente eu ainda não tinha feito nada excepcional, todos meus empregos tinham sido medianos, e agora eu tinha a chance de fazer algo novo, algo que realmente podia me fazer crescer financeiramente.
 Aceitei o desafio e agora estamos nós duas aqui, já estamos com o local alugado e providenciando a documentação necessária para a abertura da empresa, sei que nossa história pode não ser exemplo pra ninguém, mas queremos através desse relato pelo menos tocar o coração das pessoas e inspira-las a tentar algo novo, seja uma coisa grande como abrir uma empresa ou algo pequeno como fazer aquilo que sempre teve vontade, mas sempre acha que pode deixar pra depois. Temos que viver o hoje e aproveitar todos os momentos para nos arriscarmos e assim quem sabe obter resultados diferentes em nossa vida. Esse projeto inicialmente será um ateliê de consertos, reformas, roupas sob medida e algumas peças de artesanato em tecido, e num futuro bem próximo vamos realizar o sonho de lançar uma marca própria de roupas femininas.
 
Rogéria Maldonado nossa mãe

 No próximo post vocês poderão ver o passo a passo para abrir sua empresa como um MEI - Micro Empreendedor Individual, assim temos todos os benefícios de uma empresa grande mas com bem menos custo e burocracia. Também vamos contar como foi a feita a escolha do nome, a escolha do local e a organização do espaço, espero que todos tenham gostado do nosso papo (quer dizer na verdade só eu falei até agora), mas ficaríamos muito felizes se vocês deixassem suas opiniões nos comentários, contamos com a ajuda de todos.

Beijos e abraços
Driely e Rogéria

2 comentários:

  1. OLA tudo bem so passei pra desejar uma boa sorte nesse novo empredimento adoro todas as dicas que vcs dao sao muito importantes e nescessarias pro nosso dia dia mesmo ,se for uma coisinha simples continuem fazendo isso !! tudo de bom pra vcs e boa sorte !!!!

    ResponderExcluir
  2. Obrigada o apoio da família é muito importante em breve mais atualizações.

    ResponderExcluir